Praia Grande13 3473.4284    Mongaguá13 3507.7944 São Paulo 11 2276.8588 / 11 2594.9444

Normas sobre prevenção de incêndios em condomínios

05/10/2017

Não existe legislação federal sobre as prevenções em relação a incêndios em edifícios edilícios, e as legislações estaduais variam de acordo com o caso. Entretanto, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) tem regras que podem ser aplicadas a todo o território nacional.  A NBR 14276/2006 estabelece, por exemplo, condições mínimas para a elaboração de um programa de Brigada de Incêndio. Ou, ainda, a NBR 14880/2014, que trata de um quesito essencial às rotas de fuga: o controle da fumaça.

No estado de São Paulo, a legislação sobre prevenção de incêndios é a mais completa do Brasil. O Decreto Estadual 56.819/2011e as regras de segurança contra incêndio determinam que condomínios residenciais com mais de três andares devem ter uma Brigada de Incêndio.

No entanto, existe um descompasso entre a legislação e a realidade dos condomínios. O mais comum é que os condomínios mantenham em dia apenas a AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros) antes de tirar o Habite-se. Este auto é obrigatório para todas as construções coletivas residenciais e deve ser renovado a cada três anos, tornando fundamental, para isso, a implantação de uma cultura de manutenção periódica dos equipamentos e sistemas do edifício.

É dever do síndico estar a par das determinações de segurança previstas em legislação, bem como promover suas aplicações nos espaços do prédio, incluindo manutenção dos itens de segurança e muito mais.  O ideal é que os síndicos tenham a consultoria de um engenheiro independente para acompanhar a vistoria dos equipamentos contra incêndio, mas, se o condomínio preferir, a vistoria pode começar com um trabalho do próprio síndico acompanhado do zelador ou da brigada de incêndio. Nessa vistoria, devem ser verificados o funcionamento da bomba de incêndio, a iluminação de emergência, os corrimãos e se há extintores vazando.

Mas ainda existe a Brigada de Incêndio, que pode se tornar um grande problema. A Brigada são grupos de pessoas organizadas e capacitadas dentro de um condomínio, empresa ou estabelecimento para realizar atendimento em situações de emergência. Em geral estão treinadas para atuar na prevenção e combate de incêndios, prestação de primeiros socorros e evacuação de ambientes. A formação dos membros exige curso específico, realizado por empresa especializada (geralmente a mesma que prepara para o AVCB), com profissionais devidamente habilitados, e inclui: teoria e prática de combate a incêndio e, teoria e prática de primeiros socorros. A atividade deve ocorrer num campo de treinamento padronizado, com participação de um mínimo de moradores, síndico e funcionários. O condomínio, então, recebe um atestado de Brigada de Incêndio e deve passar por simulados a cada seis meses. Já a reciclagem, deve ocorrer uma vez por ano. Porém, conseguir adesão dos moradores pode ser um grande desafio para o síndico e demais membros da gestão.

Apesar de não haver legislação em todos os municípios brasileiros, é fundamental que o síndico esteja atento aos perigos e como evitá-los. E isso significa ter alguém no prédio – seja de casa, seja do escritório – treinado para enfrentar uma situação de incêndio ou até mesmo para socorrer alguém que passou mal ou sofreu um acidente.

Autora:  Letícia Gloor
Website: http://nextin.com.br

ARTIGOS RELACIONADOS

Condomínio indenizará vigilante vítima de assalto simulado pelo chefe

Saiba mais...

Chuva expõe problemas do prédio que poderiam ser evitados.

Saiba mais...

Multas de condomínio podem custar até cinco vezes o valor da taxa mensal

Saiba mais...