Praia Grande13 3473.4284    Mongaguá13 3507.7944 São Paulo 11 2276.8588 / 11 2594.9444

Câmeras de condomínio onde criança morreu não estavam funcionando

30/03/2017

Imagens poderiam ajudar polícia a entender “dinâmica” do atropelamento

A administração do condomínio residencial Morumbi Park – onde Estela de Sousa Andrade, de 1 ano e 5 meses, foi atropelada e morreu na noite desta quarta-feira (8) – informou na tarde de hoje que as câmeras do local não estão funcionando. A polícia esperava usar as imagens para entender a dinâmica do acidente e concluir as investigações sobre o caso.

De acordo com a administradora, o residencial é relativamente novo, reformado recentemente, por isso os equipamentos de monitoramento ainda não estavam em funcionamento.

Conforme o delegado Cleverson Alves dos Santos, que atendeu o caso, a mãe da criança, de 21 anos, uma amiga dela, de 22 anos, e o estudante de 21 anos, que atropelou a menina, vão responder por homicídio culposo – quando não há intenção de matar, pois “concorreram com a morte da criança”, ou seja, acabaram colaborando para que o acidente acontecesse, por não tomar os devidos cuidados para evitá-lo.

“O rapaz estava dirigindo o carro, a amiga estava com as crianças e a mãe estava junto, vindo logo atrás, nenhum deles tomou cuidados com a criança, que era pequena. Entendemos que foi um acidente, mas que poderia ter sido evitado com mais atenção”, explicou o delegado.

Ainda segundo delegado, há informações de que a mãe estava no celular no momento do acidente, por isso não teria visto o momento em que a criança partiu para perto do carro.

Se condenados, os três podem cumprir pena de até quatro anos. O velório de Estela está marcado para começar às 20h desta quinta-feira (9), no bairro Aero Rancho. Já o sepultamento deve ocorrer às 9h desta sexta-feira (10).

Histórico – O estudante que atropelou a criança namora uma jovem de 22 anos que mora junto da mãe da criança, de 23. Ambas têm filhas pequenas.

Conforme já revelado, o portão eletrônico do condomínio está quebrado e precisa ser aberto manualmente. Por volta das 22h50, após o estudante jantar com a namorada, a amiga e as crianças, resolveu ir embora.

A namorada se prontificou a abrir o portão, que fica a cerca de 50 metros da casa, e foi acompanhada das duas crianças. As sentou na calçada enquanto se despedia do estudante, que saiu com seu Ônix prata.

O acidente só foi percebido quando a mãe da vítima notou que a filha não estava sentada com a amiguinha. Estava escuro. E ao correr para avisar a namorada do motorista da ausência da criança, viu Estela caída ao chão, gravemente ferida. A menina morreu no local.

Segunda a polícia, o estudante acompanhou todas as etapas, dos primeiros socorros, ao registro da ocorrência. E não negou em nenhum momento que estava no volante do carro. Se prontificou até mesmo a passar pelo bafômetro, que não acusou o consumo de bebidas alcoólicas.

Por enquanto, somente ele foi ouvido de maneira formal. A mãe da criança e a amiga prestarão depoimento depois, já que estão bastante abaladas com o ocorrido. Ainda não há informações sobre velório e enterro de estela.

Fonte: https://www.campograndenews.com.br/

ARTIGOS RELACIONADOS

Condomínio indenizará vigilante vítima de assalto simulado pelo chefe

Saiba mais...

Chuva expõe problemas do prédio que poderiam ser evitados.

Saiba mais...

Multas de condomínio podem custar até cinco vezes o valor da taxa mensal

Saiba mais...