Praia Grande13 3473.4284    Mongaguá13 3507.7944 São Paulo 11 2276.8588 / 11 2594.9444

“Precisamos de pessoas que promovam soluções”

15/08/2018

Com esse ponto de vista, o juiz coordenador do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc – Central), Ricardo Pereira Júnior, alinhavou suas impressões a respeito dos meios não convencionais para a resolução de questões, antes que se tornem processos judiciais.

O juiz esteve na sede do CRECISP, na última sexta-feira, para ministrar palestra a respeito de mediação e conciliação como formas de sugerir soluções para litígios. O evento foi organizado em comemoração ao primeiro ano de trabalho do posto do Cejusc instalado no Conselho.

O Dr. Ricardo mostrou-se um grande entusiasta da aplicação do diálogo em substituição à decisão judicial, que demanda muito mais tempo e nem sempre pacifica uma situação. “Estamos em uma sociedade que não conversa mais! Estou convencido que uma boa conversa resolve muito mais do que uma sentença da Justiça.”

Os números, sem dúvida, respaldam a visão do juiz. Em 12 meses, o posto avançado do CRECISP atendeu 900 pessoas em 236 audiências realizadas. Dessas, 192 acordos foram selados, o que representa um índice positivo de 81%. “O sucesso da mediação se deve ao mediador que, diferentemente do juiz, trabalha de uma maneira mais leve”, afirmou o coordenador do Cejusc.

Os resultados comprovam que o trabalho realizado é muito frutífero. As partes demonstram satisfação ao término das audiências, pela rapidez com que conseguem solucionar seus litígios, sem que os tribunais sejam envolvidos.

O juiz Ricardo também comentou que, a exemplo do CRECISP, o Tribunal de Justiça tem trabalhado ao lado de outras entidades ligadas ao setor imobiliário, como a COHAB e a CDHU, promovendo conciliações para evitar, especialmente, a perda de imóveis por parte de mutuários inadimplentes. “É muito bom quando sabemos que um acordo permite que uma família continue lutando por uma condição melhor de moradia, em um patamar que caiba no seu bolso. A conciliação é o caminho mais adequado em muitas situações.”

Ao longo da palestra do juiz, diversos corretores que atuam como mediadores aproveitaram para sanar dúvidas e falar sobre o trabalho que vem sendo desenvolvido. Também participaram do evento o presidente do CRECI de Sergipe, Sérgio Waldemar Freire Sobral; as autoridades do CRECISP, José Augusto Viana Neto, Jaime Tomaz Ramos, Gilberto Yokiharu Yogui; os conselheiros Rosangela Martinelli Campagnolo, Maria Clara Hashimoto, Maria Regina Busnello, Ben-Hur Paes da Silva Junior, José Augusto Sasso, José Renato dos Santos, Bento Júlio Guidini, Luiz Sérgio Cardenuto, José Rodrigues Pinto Zacarias, além de diversos profissionais que atuam como conciliadores na Cejusc.

ARTIGOS RELACIONADOS

Gastos são obstáculo na adaptação de condomínios ao combate a incêndios

Saiba mais...

Condomínio: Saiba como lidar com o consumo de drogas no ambiente condominial

Saiba mais...

Acessibilidade no condomínio: é lei e sinal de respeito

Saiba mais...